Gonzaga


6 ago/2015

O município de Gonzaga localiza-se na região Leste do Estado de Minas Gerais, mesorregião do Vale do Rio Doce, microrregião de Guanhães, possuindo extensão territorial estimada em aproximadamente 286 Km2. Possui relevo predominantemente montanhoso, caracterizado por 7% plano, 38% ondulado e 55% montanhoso. É formado por serras e morros, com vegetação variada, predominando vestígios de mata atlântica em transição para o cerrado. O clima é ameno, do tipo tropical de altitude, com temperatura média anual de 24,5ºC, e medias pluviais anuais que giram em torno de 1114 mm. A altitude máxima do município é de 1045m, na cabeceira do Córrego do Jorge, e a mínima 418m, na foz do Ribeirão do Brejaúba. A cidade está a 737 metros de altitude.

O relevo do município de Gonzaga é caracterizado pela presença de montanhas altas, cortado por inúmeros vales, córregos e ribeirões. A principal cadeia de montanhas é a Serra do Salgado, na divisa com os municípios de Divinolândia de Minas e Sardoá. Gonzaga faz limites com os municípios de Divinolândia de Minas, Açucena, Virginópolis, Santa Efigênia de Minas, Sardoá e Guanhães. Está distante de Belo Horizonte 320 km, e as principais rodovias que acessam o município são: BR-381, BR-120, BR- 259, MG-434, MG-129.

Pertencente à Bacia do Rio Doce, a região é irrigada, principalmente, pelo Ribeirão Brejaúba e pelo Ribeirão Figueirinha, além de ter o Rio Corrente Grande como divisor entre os municípios de Gonzaga e Açucena. O município possui inúmeras cachoeiras, que são as maiores atrações natural do local. Entre elas, podem ser citadas: Cachoeira Dão Menezes, no Córrego dos Lobos, na estrada vicinal para o distrito de Conceição do Brejaúba, acerca de 15 km da sede; Cachoeira “do Rosalvo”, dentro da área do município; Cachoeira Figueirinha, na localidade do Símplício, a 15km da sede; Cachoeira do Córrego Alto, em Conceição do Brejaúba (8km); Recanto da Água Potável, uma queda d’água especialmente querida pelos moradores, refúgio da vida silvestre e monumento natural, área de grande potencial para proteção ambiental permanente e de relevante interesse ecológico.

Região: Leste do Estado de Minas Gerais
Microrregião: Guanhães
Emancipação: Lei nº 2.764, de 30.12.1962
Fundação: 13.06.1877
População total: 5.919 hab. (IBGE, 2010)
Densidade Demográfica: 27,15 hab./km2
População Urbana: 3.239
População Rural: 2.680
Área Total: 209 km2
Principal Atividade Econômica: Agropecuária (ALMG, 2003)
Distritos: Distrito Sede;  Distrito de Conceição da Brejaúba (Xodó).

Povoados: Araújo;  Graipu;  Sete Cruzes; Córrego dos Costa; Barbalho; Cutia;  Córrego Tiririca; Jorge Neca; Córrego dos Lobos; Ribeirão Jorge; Córrego Menezes; Palmital; Barra do Palmital; Cangalhas; Lambari; Peixe;  Quati; Figueirinha dos Cassimiros; Figueirinha dos Guardinos; Figueirinha do Mococa; Ribeirão do Vigário; Beira Rio;  Bicas;  Vassourinha; Raquel; Jorge Simplício; Rodrigues; Fazenda da Mandioca; Fazenda Boa Vista; Córrego dos Anízios;  Taquaruçu;  Rodeiro;  Monjolos;  Brás;  Córrego Ratos;  Barra do Lageado;  Fazenda dos Nenecos; Córrego Alto e Tatu.

A origem de Gonzaga data da segunda metade do século XIX, quando o primeiro arraial de São Sebastião do Gonzaga foi instalado no local. Esse arraial foi formado no momento em que algumas pessoas se fixaram às margens do ribeirão Gonzaga e ali iniciaram atividades agropecuárias, até hoje base do sustento mundial. Essa pessoas, presumidamente, vieram da região de Datas, Serro, Itambé do Mato Dentro (Conceição do Mato Dentro), Porto de Guanhães (Senhora do Porto) e outros municípios. Conta-se que, ainda na segunda metade do século XIX, as terras onde está instalado o município de Gonzaga pertenciam ao Sr. Joaquim Gonzaga, que provavelmente apossou-se dessas terras, acreditando que no local poderiam ser encontrados minerais preciosos, como ouro e diamantes. O então proprietário dessas terras nunca esteve presente no local, enviando, ainda nos primeiros anos da segunda metade do século XIX, seu homem de confiança, Antonio Dias, que recebeu de Joaquim Gonzaga a incumbência de desbravá-la e ocupá-la.

No ano de 1981, o arraial foi elevado à categoria de distrito de São Miguel de Guanhães. Com o passar dos anos outras famílias chegaram e se fixaram definitivamente às margens do Ribeirão Gonzaga. Anos mais tarde, a Joaquim Gonzaga, coube a gloria da constituição do primeiro núcleo local. Ele doou anos mais tarde as terras à igreja (de Guanhães) em honra a São Sebastião, santo de devoção. Com isso, surgiu em (homenagem ao santo) o povoado de São Sebastião do Gonzaga, que, a partir de 1911, ainda como arraial, pertence ao município de Guanhães.

Em 1923 com a criação do município de Virginópolis, São Sebastião do Gonzaga passa a integrá-lo, tendo a sua denominação mudada para Gonzaga de Guanhães (logo depois sem se encontrar uma data precisa, o nome do lugar reduz-se à Gonzaga). Mas como Virginópolis ainda não era comarca, o distrito continuou a pertencer à comarca de Guanhães. Em 1924, o distrito de Gonzaga desmembrou-se do município de Guanhães, passando a pertencer ao município de Virginópolis pelo disposto da Lei Estadual nº.  843, de 07 de setembro de 1923.

Anos mais tarde no dia 30 de dezembro de 1962, o distrito foi elevado à categoria de município, pela lei nº 2.764, sendo instalado no dia 1º de março de 1963, quando ouve uma grande festa publica em comemoração ao evento.

Fonte: Prefeitura Municipal de Gonzaga 


Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment