Representantes dos CBHs que compõem a Bacia do Rio Doce marcam presença na 19ª edição do Encob


9 nov/2017

Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas está sendo realizado entre os dias 07 a 10 de novembro, em Aracaju/SE

Teve início, na manhã desta terça-feira (07), em Aracaju/SE, a 19ª edição do Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas (Encob). Dentro da programação estão previstos cursos e oficinas relacionados à gestão de recursos hídricos no país com foco em comunicação, recursos hídricos, irrigação, pagamento por serviços ambientais, capacitação dos CBHs, reúso da água e mudanças climáticas.

Para agregar ainda mais informações e experiência exitosas para recuperação da Bacia do Rio Doce, uma equipe de conselheiros dos CBHs afluentes do Rio Doce está  presente no encontro  Participa das atividades, representando o CBH-Doce, o conselheiro Renaldo Lino da Silva, da comunidade indígena  Krenak. Também estão no evento, representando os comitês mineiros: Carlos Eduardo Silva, Bianca Carolina Superbi e Túlio Bárcia Tolentino, do CBH-Piranga; Felipe Benicio Pedro, Genizio Coelho e Mariana Amorim, do CBH-Santo Antônio; Wyllian Giovanni de Moura Melo e Tarcíso Cirino do Amaral, do CBH-Suaçuí; Anderson Siqueira Teorodo, Murilo Auter Tavares, Silvia Faria e Wilson Acácio, do CBH-Caratinga; Senisi Rocha, Isaura Paixão, Fernando Maldonado Ohnezorge, do CBH-Manhuaçu.

Já da porção capixaba, participam do evento: Edu Veriato Borlot Alves,  Jonnyr Gonçalves Moreira, Eduardo Vivacqua e Luiz Alberto Zavarize, do CBH-Guandu; Dhara Hibrya Pagel e José Demócrito da Silva Junior, do CBH-Santa Joana; Antônio Ferreira e André Barcelos, do CBH-Santa Maria do Doce; Antônio Ruy Junior e Evandro Apolinário Rizzi, do CBH-Pontões e Lagoas; Selso Brioschi, Marcos Antônio de Lima, Jonas Chequetto, Carlos Alberto Sangalia e Sheyla Dantas, do CBH-Barra Seca e Foz.

Oficinas

Uma das atividades oferecidas no encontro deste ano foi a oficina de “Gestão eficiente da água na Irrigação e Pagamento por Serviços Ambientais”, ministrada pelo representante da Agência Nacional de Águas (ANA), Rossini Ferreira Matos Sena. Em sua fala, ele destacou a importância do Programa Produtor de água, da ANA. “Esta é a melhor experiência de pagamentos por serviços ambientais, na categoria hídrica, no Brasil. O programa tem o objetivo de melhorar a qualidade e quantidade de água. Porém, a água chega às propriedades agrícolas por meio da chuva e, normalmente, ela bate no solo e vai embora para o rio. Então, temos o objetivo de implementar práticas vegetativas ou mecânicas para segurar a água nessas propriedade por meio do plantio de espécie nativas, readequação de estradas rurais, da construção de caixas secas, barraginhas de captação e infiltração de águas de chuvas e terraços em nível”, explicou Rossini.

Veja as outras oficinas e também a programação completa do Encob: http://bit.ly/2ArGyns

Veja o que dizem os participantes

Carlos Eduardo Silva – CBH-Piranga 

A expectativa da coordenação nacional dos fóruns é a integração, essa troca de experiências que tanto a gente do Doce traz, assim como as pessoas dos outros comitês do Brasil.

Nós do CBH-Doce temos uma rica experiência para compartilhar. O que aconteceu no Rio Doce, em novembro de 2015, serve como exemplo, não só para Minas, mas para o Brasil e o mundo, de o que não pode acontecer. É preciso que os órgãos ambientais responsáveis pelas diversas barragens que existem no país tomem providencias para que isso não aconteça.

Mariana Morim Ribeiro – CBH-Santo Antônio

Participei da oficina de reúso do recurso hídrico. Como é minha primeira experiência no Encob achei a apresentação muito proveitosa. É um momento para trocar experiências com outros membros de comitês espalhados pelo país. Como eu trabalho com saneamento, dentro da prefeitura, é uma grande oportunidade de levar os conhecimentos adquiridos aqui para a nossa região. Ao ouvir os especialistas, foi possível ter essa visão mais atualizada do que está acontecendo e, principalmente, do que pode ser feito.

Professor Wilson Acácio – Vice-presidente do CBH-Caratinga

O ENCOB sempre tem uma grande expectativa de discussão, é o parlamento das águas em escala nacional. Participei da oficina de planejamento de gestão de comitês de bacias. O palestrante deu boas dicas de como fazer uma gestão de comitê e isso é muito importante.

Silvia Faria – CBH-Caratinga

Participei da oficina de gestão eficiente da água na irrigação e pagamentos por serviços ambientais. Eu percebi que trabalhar um diferencial na agricultura, com o curso que está sendo ministrado, será muito interessante para a produção de água, uma vez que a nossa região do vale do aço enfrenta uma escassez hídrica muito severa. Percebemos, então, que é preciso trabalhar diretamente com os municípios em ações que aumentem a vazão da água nos rios.

Anderson Siqueira – CBH-Caratinga

As oficinas foram bastante proveitosas. Percebo que esse tipo de atividade é uma forma de ampliar os conhecimentos relacionados ao meio ambiente, bandeira que nós defendemos como conselheiros do CBH-Caratinga. Queremos que o tema “Recurso Hídrico” esteja sempre em pauta. Sem dúvida o ENCOB é um ambiente em que geramos resultados, é onde podemos discutir o que melhorar dentro do próprio CBH, além de ampliar os conhecimentos e trocar experiências com outros comitês.

Eduardo Ferreira – CBH-Guandu

Participei da oficina de reuso da água, que é um tema importante. Cada vez mais, a gente precisa buscar formas de reutilizar esse recurso, agregando valor a ele antes de usar.  É um tema complicado porque trata de um novo uso da água. Existem vários preconceitos sobre a questão. Temos uma cultura no Brasil de que a água já utilizada  tem que ir embora para o Rio e temos que pegar uma nova. Porém, pela dinâmica da política mundial, será necessário reutilizar.

André Barcelos – CBH-Santa Maria do Doce

Eu escolhi a oficina de gestão “Pro-Comitê” porque entendo que ela é a base para todos os comitês, que é a de referência de planejamento e capacitação para os conselheiros de CBHs e sua gestão. Todos os conselheiros precisam fazer esse tipo de curso para que haja um nivelamento técnico dentro dos CBHs.

Antônio Ferreira – CBH-Santa Maria do Doce

Este é o primeiro ENCOB que participo e acompanhei a oficina de reuso de água. O tema é bem novo dentro dos comitês, mas já vem sendo bastante trabalhado na área industrial, na área de uso do esgotamento sanitário, para utilizar na agricultura etc. É legal participar, ver o que está sendo discutido, é um técnico da ANA quem fez a abordagem, então é interessante até mesmo para você se atualizar um pouco a respeito do assunto.

O meu objetivo de vir ao encontro é justamente conhecer a experiência de outros comitês que já lidam com a escassez hídrica há bastante tempo. Se formos trabalhar isso dentro da questão cronológica no Estado do Espírito Santo é uma situação é nova.

Jonnyr Gonçalves Moreira – Secretário Executivo do CBH-Guandu

Na questão do pagamento por serviço ambiental, que é algo que já acontece no Espírito Santo. O palestrante usou como exemplo o projeto Cultivar, em que o comitê é parceiro junto com o Consórcio do Rio Guandu e a ANA. Esse projeto foi selecionado em 5º lugar no último edital do projeto produtores de água e já terá início nos quatro municípios da bacia. Hoje, o CBH-Guandu é referência no Estado por meio do programa Reflorestar, em que temos o maior número de produtores participantes. Participar dessa oficina só reforça o que já é feito e para termos uma nova perspectiva do que a gente pode melhorar e sugerir para o aprimoramento de todo o processo que está acontecendo lá na nossa bacia, e isso é muito importante.

Veja as fotos:

1º dia: http://bit.ly/2zHnG6A
Abertura oficial: http://bit.ly/2zHnX9C
2º dia: http://bit.ly/2hUwhs5

3º dia: http://bit.ly/2hgkaoq

4º dia: http://bit.ly/2iSJHVg


Nenhum Comentário »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment